Eleições legislativas 2015 – Intervenções

É ADORÁVEL A PERSPECTIVA DO BE QUANDO TEM QUE EXPLICAR O CHUMBO AO PEC4.

Ontem Catarina Martins perante esta pergunta do entrevistador;

C. M. – Sabe o PEC4 continha redução de salários e outros cortes. Não o podíamos aprovar.

Conclusão:

– Alguém que me enfrenta diz: “Vais levar um tiro num pé!”

Inteligentemente eu (o BE) respondo:

– “Nem pense: prefiro levar seis tiros bem distribuídos por todo o corpo…!”

BRILHANTE…!!!

Eu só gostava de saber como é que esta gente consegue defender uma cegueira tão estúpida e, pior um pouco, consegue manter o mesmo discurso quatro anos depois, anos passados a gritar contra a ideologia e governação que ajudaram a colocar no poder.

A Catarina é uma rapariga cheia de qualidades.
Mas parece-me tempo de assumir a prepotência ideológica de F. Louçã e mudar a linha de um comboio que continua a alimentar o seguinte aberração de quadro:

PORTUGAL É HISTORICAMENTE UM PAÍS CLARAMENTE DE ESQUERDA, FREQUENTEMENTE GOVERNADO PELA DIREITA.

MÉRITO: DA ESQUERDA.
DEMÉRITO: DA ESQUERDA
BENEFICIADOS: A DIREITA.

Conclusão:

IMPRESCINDÍVEL O CHAMADO VOTO ÚTIL NO PS, OU ESTAMOS ENTREGUES À CASMURRICE INCONSEQUENTE DA EXTREMA ESQUERDA E CONDENADOS A LEVAR COM O QUE TEMOS POR LARGOS ANOS.
ALEGREMENTE…!

P. Cabrita

Rangel: Se o PS estivesse no poder, Sócrates e Salgado não seriam investigados.

Pois … meu caro Rangel! Quanto a Salgado a bomba e a bronca foram demasiado estridentes; não havia outra coisa a fazer.
Mesmo assim não tiveram coragem para o meter na prisão. Com um governo PSD é assim; fica em casa guardado pela polícia não vá algum maluco entrar lá na barraca e pedir contas dos “investimentos com retorno assegurado”.
Quanto a Sócrates, não temos dúvidas; só um governo PSD mandava um 1º ministro de um partido da oposição para a cadeia, especificamente emperíodo eleitoral, sem culpa formada e obviamente à procura de provas. Prender para investigar é claramente uma marca de água (ainda que suja) desta coligação.
Percebemos a diferença entre uma justiça PSD e uma Justiça PS. Não precisava de nos explicar sr. P. Rangel. Nós sabemos.
Mas nada como esperar. Bem sabemos que passadas as eleições até pode morrer tudo e concluir-se que afinal… alguém pariu um rato.
O trabalho está feito sr. Rangel.
Mas tem aqui um pequeno pormenor que me parece ter-lhe escapado.
Mas então não foi no governo socialista anterior que meteram, por determinação do sr. dr Juiz Carlos Alexandre) dois juízes em exclusividade durante dois anos (?) a investigar o caso Freeport (a partir de uma denúncia anónima e falsa de um autarca PSD do Montijo) tendo estes dois juízes dado duas voltas ao planeta em busca de um elefante, tendo chegado ao fim com as mãos a abanar…? Ou isto não aconteceu e eu é que estou a delirar…?
A nossa esperança é que estes mais de 40 anos de democracia cheguem para este desgraçado povo abrir os olhos e perceber quem o aldraba e quem faz do empobrecimento uma bandeira de crescimento e bem-estar.
Encontramo-nos dia 4 de Outubro.
Temos esperança.
Até lá cresça (politicamente e em termos de honestidade intelectual, claro está) e apareça menos enfezado (obviamente em termos de pensamento político) porque a oposição depois de outubro convinha que se apresentasse mais limpa (também em termos de intervenção política. claro está).

P. Cabrita

Rui Zink:

UMA INFÂMIA
A verdade vem por vezes da boca dos paulorangéis. Este é o verdadeiro governo faz-tudo: até prende e julga.
E faz sentido: se as direcções dos jornais e TVs já estão no bolso (ou na bolsa) porque não a Justiça?

Entraram muito devagarinho e eu pensei que era para meu bem; depois foram-me levando a reforma, o emprego e a esperança (a minha e a dos jovens a quem sugeriram e empurraram para a emigração) e eu continuei a achar que era capaz de ser para meu bem e fui acreditando. Depois, bem depois que fale o Zink porque eu já estou farto senhor, farto…!!!

P. Cabrita

O PROF. MARCELO NO SEU MELHOR DESESPERO.

Dividido entre a promoção da sua imagem (com transporte gratuito para Belém) e ameaças de disparos ao líder do seu partido (se me riscas da tua lista, faço-te a caminha aqui desta fábrica de salsichas onde me sento, impunemente, há anos e procuro, a todo o custo influenciar a opinião pública no sentido dos meus interesses…), bem como a obrigação ideológica de promover o seu partido, Marcelo R. de Sousa afina a sua incomensurável verve procurando com um só tiro de caçadeira de canos cerrados (espalha mais) derrubar tudo de uma só vez.

Consta que não tem amigos; só interesses. Que o diga quem se lhe atravessa pela frente.
Ontem, em mais um “Direito de Antena” na TVI, o prof. malabariçou (vem da conhecida malabarice de P. Coelho…) a seguinte tirada:

“Pode haver quem no PS pense o seguinte: se a coligação ganhar sem maioria absoluta e se Costa cair na noite das eleições, o que é facto é que Passos Coelho não dura depois mais do que um ano, um ano e meio, e nós temos condições de ir ao poder com outra liderança que não António Costa.”

Ora, contemos os chumbos e os estragos deste tiro:

1- A coligação a ganhar (mesmo que nenhuma sondagem o tenha sequer prenunciado). Propaganda gratuita sob a capa de comentário político.
2- Passos Coelho, mesmo assim, a ir pelo cano abaixo… É uma ameaça ao líder do PSD. Põe-te a pau porque te faço mesmo a cama…
3- Alerta aos seguristas de que há uma hipótese de voltarem a tomar o poder no PS. Vai uma ajudinha…?
4- Com um só tiro A. Costa leva com duas chumbadas: perde as eleições e perde a liderança do partido.

Perfeito.
Repare-se bem: numa só frase (um só tiro) só não apanhou a família, de resto foi tudo a eito. Este homem não dorme; mas pensa que todos dormimos enquanto fala.
Nada pior que um vigarista inteligente. Pior que isso talvez apenas um povo ainda meio analfabeto incapaz de discernir se compra ou não o elétrico que o malandro lhe quer vender na linha que passa nos Jerónimos.

A popularidade do prof. Marcelo é inquestionável. Tanta quanto o vendedor de banha da cobra sempre rodeado por um mercado de papalvos dispostos a comprar o produto milagroso que lhes há de aliviar todas as dores de corpo e alma.
O charlatão de feira bem sabe que precisa de palavreado afinado se quiser levar atrás de si e do negócio a multidão necessária a sua sobrevivência.
O prof. Marcelo é um homem arguto e muito inteligente, embora Passos Coelho não o ache suficientemente capaz para ocupar o lugar mais alto da hierarquia política, mesmo sabendo que em termos de popularidade bastava o PSD fazer-se de morto, ou ir a banhos para a Manta Rota na contenda eleitoral. Não sendo P. Coelho louco nem parvo, dá que pensar.

É óbvio que isso irrita em demasia o prof. Marcelo.
Veladamente ele irá derrubando o líder do seu partido, mal se aperceba que é uma carta fora do baralho, como parece que vai parecendo.
Uma no cravo, outra na ferradura é a arma preferida do Prof. . Dissimular uma ideia fazendo crer que a defende para logo a seguir a rasteirar sem que o árbitro tope alguma coisa é a arma preferida de Marcelo.
O prof. Marcelo, para lá da sua argúcia e inteligência, a que junta um saber estar cativante, que por vezes derrete a própria Judite de Sousa, é um homem intelectualmente desonesto. Um interesseiro no verdadeiro sentido egocentrista, incapaz de dar ponto sem nó, nó onde se prende pelo seu interesse pessoal primeiro e no do partido que ajudou a erguer logo a seguir.
Líder de audiências, jamais se permitiria participar num programa televisivo que não ocorresse ao domingo e em horário nobre. Tudo nobre; dia e hora.
E irá continuar enquanto houver uma perspetiva de usufruto próprio de um qualquer pedaço de bolo apetecido, ou, essencialmente, gente e instituições para derrubar, ainda que sempre enfeitado da exaltação de pequenos nacionalismos que exacerba, bem sabendo quanto isso afaga o coração patriota do português comum. Este homem não dorme mesmo em serviço.
Sabe-a (quase) toda o prof. M R S. Apenas lhe falta dissipar a memória renitente de P. Coelho que não esquece pérfidas malandrices de outrora, que o prof. bem precisava ver dissipadas. O tempo é um excelente motor de aprendizagens. Pode ser que desta tenha aprendido.
Se um dia se apanhar em Belém, último patamar apetecido, que se cuidem todos porque ninguém lhe escapará. A sua avó que o diga…

P. Cabrita

CDS acusa PS de se julgar “dono das televisões e dos debates”

Tenham algum pudor, porque vergonha nunca tiveram…

Canais abertos, portanto com difusão por todos o país, sem qualquer contraditório..
1- RTP1 – Morais Sarmento – PSD
2- SIC – Marques Mendes – PSD
3- TVI – Marcelo R. de Sousa – PSD
Canais por cabo.
SIC Notícias – Bagão Félix – CDS/PP ; F. Louçã – BE (O rapaz do PEC4 que colocou o PSD no poder); Todos sem contraditório. António Vitorino – PS … mas com Santana Lopes – PSD, não fosse o socialista desbocar-se sozinho…
TVI24 – Manuela Ferreira Leite – PSD; Medina Carreira – (Dissidente do PS e apoiante de Cavaco Silva – PSD.).
Tínhamos Augusto Santos Silva – PS , uma autêntica excrescência do poder vigente,… mas bem à justa (eleições à porta) saneado este mês e censurado no último programa por motivos e argumentos inenarráveis.

P. Cabrita

A CRISE DOS CARTAZES…

Rebolo-me a rir com a “crise dos cartazes do PS”.
Marcelo e M. Mendes falam de “semana trágica para os socialistas” por via de cartazes eleitorais.
Já não sabem o que mais fazer para desgastar, esvaziar e amesquinhar os adversários políticos, adversários estes sem acesso à comunicação social porque usurpada por completo pelo governo, donde não se coibiram de sanear o último e único socialista (Augusto S. Silva), que por misericórdia ainda tinha um pequeno púlpito donde desmascarar o governo e os partidos que o apoiam.

O elevado nível destes dois “independentes” chegou ao nível da sarjeta.
Na verdade, os cartazes e, ou, tudo o que se pode dizer deles são duma importância transcendente.
Traduzem certamente um arrojado Programa para a Década com números e estratégias, um candidato a 1º ministro sempre em enorme vantagem sondageira em relação ao 1º ministro em exercício, contra um Programa vazio sem qualquer número, que por medo ou outro motivo não revelam, empalhado em evasivas estratégicas e um vice que não se atreveu a ir a eleições, mas bate o pé e faz uma birra porque quer ir a debates.
Gente esperta esta.
Importante, mas mesmo muito importante… são os cartazes do PS.
Mais seriedade e objetividade política era o que se requeria nesta altura
Falem-nos de projetos, propostas sociais e políticas, falem-nos da vida das pessoas e dos seus anseios e deixem a mesquinhez politico-eleitoralista vazia e de baixo nível, no fundo uma forma de estar muito “portuga”, epíteto de que nos tardamos a libertar e depois nos abespinhamos quando os do norte nos marcam como PIGS.
Sugestões que deixamos ao Prof Marcelo e a Marques Mendes;

NOTÍCIA DO JORNAL DE NOTÍCIAS DE HOJE.

Pobreza.
48.000 comem diariamente em cantinas sociais.
Nos primeiros 6 meses deste ano foram servidas 8,6 milhões de refeições.
Só no Algarve 23.000 pessoas beneficiam da ajuda de emergência alimentar.

Fica a sugestão para melhor enfeitar a composição dos cartazes do PS.

P. Cabrita

 

Anúncios
%d bloggers like this: