Deixe um comentário

À Sombra da árvore nua…

Recentemente voltou a público o caso Domingos Névoa (Bragaparques – Parque Mayer-Feira Popular).

O senhor procurou subornar o vereador Sá Fernandes com uma nota preta. Os irmãos Sá Fernandes armadilharam-no e o homem foi agarrado sem apelo nem agravo.
A culpa foi tão clara e evidente que o Juiz foi mesmo “obrigado” a condenar o corruptor: 5.000€, uma quantia que deixou o D. Névoa a rir à gargalhada.
Recorreram.
E o homem, já com menos vontade de rir, é agora condenado em 200.000€.
Bem, não é que a diferença entre 5.000 e 200.000€ seja assim uma coisa muito evidente num país que já desistiu de acreditar e clamar por justiça justa; sim porque justiça ainda vamos tendo. Só falta que seja justa.

E a mim dá-me para cogitar… porque cogito, ergo sum…!
… Mas porque é que um leve e subtil aroma a Maçonaria me perpassa agora pelo espírito…?!
Nada contra os senhores do avental e a hombridade de muita gente que por lá milita.
O problema é quando uma pena é multiplicada por 40, sem que haja apuramento de novos dados que permitam admitir esta alteração.
O problema é quando a árvore projecta uma sombra maior que a ramagem nua que ostenta…
A questão não são as boas intenções da maioria dos militantes duma organização.
Em causa estão apenas as maçãs podres que, na hora da congregação do espírito de unidade e defesa intransigente dos nossos, amotinam as regras da decência e a elevação dos propósitos da maioria dos justos.

PC

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: